quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Auto-Retrato Probabilístico - 1967


Auto-Retrato probabilístico são obras que se voltam para a fotografia como registro privado da identidade.
Ele executa a partir de um retrato de si mesmo. Subdividida em três planos sucessivos, ela disponibiliza o único ponto de vista a partir do qual a imagem de Cordeiro pode ser recomposta a vista de sua completude. Qualquer outro resulta numa identidade esfacelada. É o próprio retrato autocrítico do artista, na alternância continua entre integração e desintegração. Estabelece um jogo entre identidade e desidentificação, transparência e opacidade, ordem e desordem.
Ela faz referência a certos fenômenos da comunicação – como a relação entre verbal e visual – e a determinados tipos de raciocínios – expressos no sistema binário e no cálculo das probabilidades que nos apontam para as conexões entre a pesquisa semântica de Cordeiro e o seu interesse pela cibernética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário